Detalhes do produto

Cesta de retalhos
Disponibilidade: Em estoque
R$ 30,00

  Sinópse

São 44 textos, uns 2 ou 3 evoluindo da leveza da crônica para a densa fragrância do conto, um ou outro dedicado ao espírito fecundo das linguagens da fonte em que bebeu Ariano Suassuna. Textos perfilados como microensaios de animismo humano, se me permitem a ousadia classificatória, não passando também de excertos líricos sobre a genealogia dos afetos e origens transmitidos pelo grande rapsodo sertanejo nascido na Paraíba e tido, havido e proclamado como de cidadania pernambucana, sem que nenhuma voz ainda se disponha a desconsiderar.

Legendas de encantados aboios, misto de conto maravilhoso, legendas míticas da amizade, encantamentos e sortilégios dos afetos de plena égide de atrocidades, estas crônicas florentinas revelam um Clóvis tal como traduzido pelos meninos cariocas que, do clown – palhaço shakespeariano – transtornaram sorrateiramente a gramática do idioma, transformando os grupos em Clóvis, mascarados que circulavam em blocos na tradição dos antigos carnavais de rua, festa popular de bairros e periferias, sem feéricas lapidações dos strasses (e stress) da vida urbana, com sua alegria mercantilizada nas avenidas e sapucaís das urbes cada vez mais cosmopolitas, despersonalizadas e sepultas nas deserções de um cotidiano sem graça.

  Ficha técnica
ISBN: 978-85-8151-048-4
Edição:
Ano de publicaçao: 2017
Nº de Páginas: 272
Formato: 15x22cm
Idioma: Português
  Sobre o autor
Clóvis Ramaiana

O nascimento natural foi em Feira de Santana, sertão da Bahia. O nascimento cultural, aquele que comecei a me fazer com minhas mãos, entretanto, foi na sertaneja cidade de Tanquinho. Ali produzi a minha pré-graduação com as cantigas da passarinhada, ao sabor da chuva boa, ouvindo narradores alentosos, sentindo o cheiro do requeijão fresco; vendo “boi roubado”, samba de roda, bata de feijão.

Sou sertanejo de um lugar: Tanquinho! Pelas veredas do tempo, caminhei a minha graduação em história na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), em 1995. Profissionalmente tenho vendido minhas aulas no mesmo recanto onde me graduei. Pela universidade sertaneja festejo a vida falando de teorias e histórias, brincando de fazer rir a dogmática seriedade da academia, desconfiando de sisudas pretensas científicas. Sou professor do Mestrado em História na UEFS e na Universidade do Estado da Bahia (UNEB) de Alagoinhas. Gosto de pesquisar cidades e de me perder por elas, das relações entre literatura e história, da poesia como forma narradora, do sertão como imenso mundo a ser transformado.

Se preferir compre em um site parceiro