Detalhes do produto

Alí-di-Lá: o caranguejo imigrante
Disponibilidade: Em estoque
R$ 30,00

  Sinópse

Neste livro temos uma narrativa rara e preciosa. Um caranguejo chamado Ali- -di-Lá toma a palavra e narra as origens, a história e a condição de sua espécie, os caranguejos do mundo. Você sabe o que há com eles? Ora, os caranguejos encontram- se ameaçados de extinção nos manguezais, esses nichos ecológicos tão maltratados pelos seres humanos, explorados e degradados pela poluição e pela pesca predatória.

Mas essa história é bem-humorada, pois Ali-di-Lá é gente boa. Ele tem esperança e acredita haver um oásis onde a vida poderia ser preservada e os caranguejos viveriam em paz. No entanto, o leitor vai verificar que isso não é nada fácil. O caranguejo Ali-di-Lá vai nos revelar uma realidade dura, em que a vida nos mangues está jurada de morte, com a extinção de várias espécies de animais que vivem na sua preciosa lama.

A situação é crítica. E o sonho de Ali-di-lá ainda é um desejo longe de ser alcançado. Os mangues do Brasil poderiam ser um paraíso para os caranguejos, siris, aratus e demais seres que ali nascem e tentam sobreviver. Mas o que se vê é o contrário: o país está um “mangue”!

Esta narrativa é uma ficção muito realista. Ela informa o leitor, traz dados científicos, mostra a realidade das estatísticas, denuncia a degradação dos mangues e os estragos que isso representa para o meio ambiente.

Esta história é muito crítica. Faz um alerta para que todos nós, e sobretudo os leitores jovens, possamos nos conscientizar de que os mangues precisam de socorro. Os manguezais são o lar de muitos animais que formam um ecossistema fabuloso e indispensável ao equilíbrio do meio ambiente.

Ali-di-Lá é um caranguejo que sonha com a salvação dos manguezais. Ao ler sua história, temos todos de assumir um compromisso urgente. Precisamos ajudar a salvar os nossos ricos manguezais.

  Ficha técnica
ISBN: 978-85-8151-118-4
Edição:
Ano de publicaçao: 2016
Nº de Páginas: 48
Formato: 21x29cm
Idioma: Português
  Sobre o autor
Sérgio Di Ramos

de Itabuna - Bahia, Servidor publico Federal da CEPLAC desde 1977, graduado em Direito pela UESC, Mestre em Desenvolvimento Sustentável, autor do livro Manguezais da Bahia, lançado pela EDITUS em 2000, autor e ilustrador da cartilha de Educação Ambiental “Vamos Conhecer os Manguezais” editada em 2001 pela CEPLAC em convênio com a Fundação Maramata de Ilhéus, artista plástico catalogado em vários índices e revistas de artes plásticas do Brasil e Portugal, mentor e fundador Reserva Particular do Patrimônio Natural Arte Verde-Ilhéus, reconhecida pela portaria ministerial do IBAMA 112/98, Professor de História do Direito e Direito Ambiental na Faculdade de Ilhéus até 2014, Chefe do Escritório Regional do IBAMA em Ilhéus entre 2003 e 2007. Como músico compositor, se intitula de Eco-music-tupynamjazz, já lançou cinco CD, alguns com participação de importantes nomes da música popular brasileira, com destaque para o Quinteto Violado, Chico Lobo, Bárbara Leite, Paulo Mourão e Margareth Menezes. Para o crítico musical paulista Dery Nascimento, Di Ramos representa uma palavra expressa na música baiana. Para o crítico de arte mineiro Geraldo Elísio, é um artista multimída, cuja música representa a rica digital nordestina. Atualmente se debruça para a produção literária, música e confecção artesanal de violões.

Se preferir compre em um site parceiro